Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Retrospectiva 2016
Publicidade

Eleições 2016: PT sofre maior derrota eleitoral da história, enquanto PSDB avança pelo País

Partido perde mais de 60% das prefeituras que comandava. Já PSDB conquista São Paulo

News|Do R7

Imagem do ex-presidente Lula não foi capaz de ajudar candidatos a prefeito e PT fracassou nas Eleições 2016
Imagem do ex-presidente Lula não foi capaz de ajudar candidatos a prefeito e PT fracassou nas Eleições 2016 Imagem do ex-presidente Lula não foi capaz de ajudar candidatos a prefeito e PT fracassou nas Eleições 2016

Após 13 anos no poder, em 2016 o PT sentiu pela primeira vez o peso do desgaste político que a crise causou à imagem da legenda. O partido foi o grande derrotado das eleições municipais e, pior que isso, perdeu espaço para o grande adversário: o PSDB.

O PT perdeu 60,2% das prefeituras, em comparação com 2012. Tinha 638 e ficou com 254. Do outro lado, o PSDB, que tinha 695, subiu para 803 municípios: aumento de 15,5%.

O grande exemplo da derrota do PT para o PSDB se deu na cidade de São Paulo. João Doria (PSDB) aparecia bem à frente do candidato à reeleição Fernando Haddad (PT). Porém, as últimas pesquisas ainda indicavam que os dois iriam para o segundo turno.

A surpresa veio na noite de 2 de outubro, quando as pesquisas de boca de urna indicaram uma provável vitória do tucano logo no primeiro turno. E foi isso que aconteceu. Doria obteve 3 milhões de votos contra 967,1 mil do petista. Foi a primeira vez que um candidato levou a eleição no primeiro turno na capital paulista.

Publicidade

Na Grande São Paulo, o PT perdeu o chamado cinturão vermelho. Antes no comando das prefeituras de Carapicuíba, Embu das Artes, Franco da Rocha, Guarulhos, Mauá, Osasco, Santo André e São Bernardo do Campo, ficou apenas com Franco da Rocha. O PSDB levou em dez cidades, incluindo Santo André e São Bernardo do Campo, tradicionais redutos petistas.

A crise que culminou com o impeachment da presidente Dilma Rousseff e o peso da Lava Jato foram cruciais para o mau desempenho petista nas eleições municipais. Apesar de também estar citado em escândalos de corrupção, o PSDB conseguiu endossar a voz das ruas em muitas cidades, com um discurso de gestão eficiente e combate a desvios de conduta de funcionários públicos e políticos.

Publicidade
João Doria reflete derrota do PT nas eleições de 2016
João Doria reflete derrota do PT nas eleições de 2016 João Doria reflete derrota do PT nas eleições de 2016

Outro fator que causou dificuldade para o PT foi a debandada de membros. Um em cada cinco prefeitos eleitos pelo partido em 2012 trocou de legenda ou foi expulso.

Dilma se tornou uma espécie de "pé frio". Nenhum candidato fez questão da presença dela em palanques. A justificativa foi de que a então presidente precisaria de tempo para se defender do processo de impeachment e não queriam incomodá-la com campanha.

Publicidade

Lula até que tentou, pegou na mão de prefeitos em diversos cantos do País, mas em poucos teve sucesso. Em Garanhuns (PE), terra natal de Lula, o candidato à reeleição pelo PTB, Izaías Régis, tinha o PT na coligação, mas evitou a imagem do ex-presidente. Esse cenário é o oposto de 2012, quando candidatos brigavam para ter Lula como cabo eleitoral.

Diante desse cenário, o PT terá em 2017 o desafio de se reestruturar para as eleições presidenciais de 2018. O tempo é curto e, além de Lula, o partido não tem outros nomes prováveis para disputar o pleito daqui a menos de dois anos.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.