Lula passou de informante a investigado pela PF (Polícia Federal) no suposto esquema de compra de medidas provisórias durante seu governo.
Os textos aprovados e sob suspeita beneficiaram montadoras de veículos.
Em nota, Lula disse que “a edição das Medidas Provisórias [...] tenha relação com o contrato” entre empresas que fizeram pagamentos ao seu filho.
No MP-SP (Ministério Público de São Paulo), Lula é investigado por supostamente ser dono de um triplex, no Condomínio Solaris, no Guarujá (SP), avaliado em até R$ 1,8 milhão.
O ex-presidente e a mulher, dona Marisa Letícia, vão depor como investigados.
O triplex começou a ser construído pela Bancoop (Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo), mas foi concluído pela OAS, acusada Lava Jato. A suspeita é que a grana de contratos da Petrobras tenha sido levada para paraísos fiscais e, depois, usada para erguer o edifício. Os imóveis seriam um disfarce para repassar propina a agentes públicos.
Frequentador assíduo da propriedade, apesar de não ser dono, Lula passou de suspeito a investigado por se beneficiar de uma suposta compensação das empreiteiras OAS e Odebrecht com o sítio.
As empresas teriam reformado o local, e o ex-presidente teria ocultado patrimônio.
Lula diz não ter ligação com o sítio, mas sua mulher, Marisa Letícia, comprou um barco que foi entregue na propriedade. Uma ex-dona de loja de matérias de construção da cidade garante que a Odebrecht pagou pelas obras.
AMIGO BUMLAI

Preso em novembro em um desdobramento da Lava Jato, José Carlos Bumlai teria usado o nome de Lula (de quem é amigo pessoal desde 2002) para conseguir um empréstimo de R$ 12 milhões, em uma operação fraudulenta, com o Banco Schahin destinado ao PT. O dinheiro teria sido liberado em troca de um contrato de US$ 1,6 bilhão para a operação de navios-sonda da Petrobras.
FILHO SOB SUSPEITA

Filho de Lula, Luís Claudio Lula da Silva é investigado na Operação Zelotes por supostamente receber R$ 2,5 milhões da Marcondes & Mautoni, consultoria contratada pelas montadoras para fazer o lobby pelas MPs aprovadas pelo ex-presidente e investigadas na Zelotes. Sobre os repasses, Lula disse ser um “absurdo” essa suspeita.
COMPRA DOS CAÇAS

A PF suspeita que Luís Claudio Lula da Silva, filho do ex-presidente, também recebeu grana do negócio que selou a compra de 36 aviões-caça da empresa sueca Saab para a FAB (Força Aérea Brasileira). À PF, Lula classificou a suspeita como "um absurdo".